• Abner Oliveira

7 dicas para você programar sua próxima viagem a Bonito (MS)!

Bonito é o destino de ecoturismo mais visitado do Brasil e conta com diversas opções de atrativos. Porém, a cidade localizada no Mato Grosso do Sul tem uma série de peculiaridades que devem ser levadas em consideração antes de se programar um roteiro.

Do acesso à compra antecipada de ingressos, existem dicas que ajudam o visitante a aproveitar ao máximo esse paraíso natural brasileiro.


Pensando nisso, a Acqua, focada em atender de forma personalizada os turistas que buscam uma experiência única no destino, listou a seguir 7 coisas que você precisa saber antes de ir a Bonito. Confira:


Como é a cidade de Bonito?


Bonito, com seus quase de 22 mil habitantes, é uma típica cidadezinha de interior. Localizada na região Centro-Oeste do Brasil, ela conserva aquele ar pacato e acolhedor característico.


Eleita 16 vezes como o Melhor Destino de Ecoturismo do Brasil, Bonito é a cidade turística mais conhecida do Mato Grosso do Sul. Junto com os municípios de Jardim, Bodoquena, Porto Murtinho e Miranda, formam um importante cinturão turístico no entorno do Parque Nacional da Serra da Bodoquena, uma área de conservação ambiental localizada na borda da planície do Pantanal.


A formação geológica dessa região é tão rica em bicarbonato de cálcio e magnésio, que deu origem à grandes extensões de cavidades subterrâneas. Isso faz com que o solo funcione como um "filtro", absorvendo muita água, que ressurge completamente transparente e rica nesse mineral proporcionando um belo tom de azul. E, são justamente essas duas características, a cristalinidade e a transparência dos rios, que atraem turistas do mundo todo. Entre os mais famosos estão o Rio Sucuri, Rio da Prata, Rio Formoso, Rio Mimoso e Rio Baia Bonita.


Como chegar?


Crédito: Hudson Garcia


Apesar de estar localizada a 297 km de distância de Campo Grande, capital do MS, o acesso a Bonito é simples e há pelo menos quatro formas de chegar: de carro, de van, de ônibus ou de avião.


Chegar em Bonito de carro é a forma mais usada pelos viajantes que voam até Campo Grande e de lá seguem percorrem os quase 300 km que faltam para chegar. As estradas são boas e sem pedágio, o que facilita a viagem. A locação de veículos é uma ótima opção para viajantes que priorizam conforto e praticidade durante a viagem, porém, na ponta do lápis, com o preço da gasolina como está, essa pode não ser a opção mais econômica.


Outra forma de chegar em Bonito é utilizar o transporte de van que parte do Aeroporto de Campo Grande. As vans saem todos os dias em vários horários e os viajantes podem desembarcar diretamente nos hotéis e pousadas em Bonito. A viagem dura pouco mais de 4hs e faz uma parada no caminho.


Ônibus é sem dúvida a forma mais barata de chegar a Bonito a partir de Campo Grande, para quem não está de carro próprio ou alugado. A rota é operada pela Viação Cruzeiro do Sul e a diferença em relação às vans é de apenas 10 reais por pessoa, já que o valor cobrado pela passagem de ônibus de Campo Grande para Bonito é de R$ 100.


O aeroporto mais utilizado é o de Aeroporto Internacional de Campo Grande e que fica a 300 km de Bonito. A razão disso se deve ao fato das passagens aéreas para Campo Grande normalmente apresentarem preços melhores do que dos voos com desembarque direto em Bonito. Agora, se o preço da passagem não for um empecilho pra você, então, de longe, o melhor jeito de chegar é desembarcar direto no aeroporto da própria cidade. O Aeroporto Regional de Bonito recebe atualmente 4 voos por semana operados pela Azul aos domingos, segundas, sextas e sábados, todos com conexões partindo de Viracopos.


Qual a melhor época para viajar?


Crédito: Daniel de Granville


Não há exatamente uma melhor época para visitar este destino - o ano todo seria a melhor resposta! A verdade é que mesmo sendo um destino tradicionalmente conhecido pelas atividades de mergulho e águas transparentes, Bonito tem sido cada vez mais procurado como destino para as férias de inverno. Isso porque, durante essa estação, de junho a agosto, apesar das baixas temperaturas, o clima da região é seco, então é possível aproveitar muito mais do que se você estivesse na praia, por exemplo.


Fora isso, é justamente durante a seca que as águas estão muito mais transparentes e vale a pena alugar uma blusa de manga longa para colocar por baixo da roupa de neoprene fugindo assim do frio! Também é no inverno que ficam concentrados os maiores períodos de baixa temporada e promoções especiais - então é uma época que merece uma atenção especial!


Resumindo, melhor época para conhecer Bonito: abril, maio, setembro, outubro e novembro.


O que fazer?


Ao conhecer a cidade você percebe que há muito o que fazer, mas o essencial é fazer os passeios em Bonito. Afinal, não é à toa que o destino é considerado um objeto de desejo em nível mundial.


Para ter uma noção da quantidade de coisas pra fazer, há tantas atrações, que é possível visitar um passeio por dia durante trinta dias sem repetir nenhum. São mais de quatro mil espécies entre peixes, animais silvestres e plantas subaquáticas.


Os principais atrativos são flutuações e mergulhos nos rios de águas completamente transparentes, cachoeiras que brotam entre os vales, grutas secas e alagadas, cavernas deslumbrantes, dolinas e atividades de aventura como rafting, boia cross e cavalgadas.


Entre os passeios imperdíveis estão: a Gruta Lago Azul, a Nascente Azul, o Rio da Prata, o Aquário Natural, a Lagoa Misteriosa, o Abismo Anhumas, as cachoeiras da Boca da Onça e Estação Mimosa e o Parque Ecológico do Rio Formoso.


O que fazer de graça no destino?


Crédito: Hudson Garcia


Você acreditaria se eu te dissesse que em Bonito nem tudo é pago e que há algumas atividades divertidas que você pode fazer sem gastar enquanto estiver na cidade? Entre as atrações gratuitas para aproveitar no destino estão: ver as estrelas, conhecer a Praça da Liberdade, relaxar vendo o pôr do sol, e visitar a fábrica de cerâmica Udu.


O que comer?


Em Bonito se come desde um cachorro quente até um delicioso Pacu na Brasa ou carne exótica (como jacaré) e ainda, sashimi e sushi de Piraputanga. Por lá, o visitante gastará em alimentação provavelmente o equivalente ao que mesmo que costuma gastar em sua cidade, mas isso também vai depender do que se deseja comer.


Importante saber que a maioria dos hotéis serve o café da manhã e você também consegue incluir o almoço em quase todos os passeios.


O que preciso saber antes de ir?


Além das dicas acima, há algumas recomendações essenciais para quem vai ao destino pela primeira vez. É importante se atentar, por exemplo, que todos os atrativos turísticos estão em propriedades privadas, portanto sempre será cobrada entrada.


Ao cobrar o ingresso para visitação, os atrativos garantem a sustentabilidade do turismo e que todos os equipamentos utilizados nos passeios estejam dentro das normas e padrões estabelecidos para a atividade, e, além disso ao pagar o valor do ingresso o visitante já tem incluso o serviço do guia de turismo especializado em atrativos naturais, o que contribui muito para valorizar a visita.


Outro ponto importante é que os ingressos só podem ser comprados nas agências locais. A Prefeitura não permite a venda de ingressos na portaria dos passeios, uma das razões para isso, é garantir que seja respeitada a lei ambiental que limita o número máximo de pessoas por passeio por dia.


Para facilitar a compra do voucher, Bonito possui hoje mais de trinta agências como a Acqua Viagens, preparadas para prestar esse tipo de atendimento.


Da mesma forma, as atrações devem ser agendadas com antecedência. Por conta da grande procura e pelo fato de possuírem um limite diário de público menor do que os demais passeios, algumas das principais atrações de Bonito precisam de agendamento antecipado, principalmente nos períodos de férias e feriados nacionais.


Os passeios de flutuação, são feitos em pequenos grupos, de 7 a 9 pessoas por vez, sempre considerando a capacidade de carga permitida pela licença ambiental.


Por fim, vale lembrar que não é preciso saber nadar para fazer qualquer passeio no destino. Nas flutuações é obrigatório o uso da roupa de neoprene. Ela vai ajudar a dar cerca de 70% de flutuabilidade para o seu corpo e completar a sua equipagem, já que, por cima dessa roupa é colocado um colete salva vidas no tamanho adequado ao seu corpo.


Todo esse cuidado com o equipamento resolve duas situações: faz o turista flutuar como um peixe e ainda auxilia na conservação da transparência dos nossos rios já que não é permitido encostar os pés no chão durante o trajeto do passeio. Já nos demais passeios, o colete salva vidas é item obrigatório de segurança e nos balneários o equipamento está disponível para locação.


Bora visitar Bonito?

Todos os direitos reservados ©2020 - 2021 por Abner Oliveira Oficial 

  • linkedin
  • instagram
  • facebook