• Abner Oliveira

LATAM cria no Brasil tecnologia própria para limpeza de aeronaves

A LATAM Airlines Brasil desenvolveu a “in company” um robô autônomo para a limpeza das aeronaves com luz ultravioleta (UV) - método que, combinado com os demais procedimentos de higienização, elimina até 99,9% dos vírus e bactérias a bordo. O protótipo do robô foi 100% criado pela LATAM e os testes finais e ensaios de eficácia foram realizados no Centro de Manutenção (MRO) da companhia, em São Carlos (SP).

A LATAM decidiu desenvolver a tecnologia no início de junho, após a conclusão de estudos internacionais sobre a aplicação de Luz Ultravioleta tipo C (UV-C) na higienização de ambientes. Com a expertise dos engenheiros da própria companhia, começou a construir uma solução customizável para a sua realidade, com custo menor e o mesmo nível de eficácia dos equipamentos disponíveis no mercado. 

Para o processo de criação do novo equipamento, a LATAM contou ainda com todo o suporte e parceria do Instituto de Física de São Carlos (IFSC/USP), que comprovaram a eficácia do equipamento. Além disso, a LATAM buscou uma tecnologia que operasse de forma autônoma para proteger os funcionários da exposição à luz UV-C durante a sua operação.

“Este projeto revela a capacidade de inovação de todo o Grupo LATAM e o quanto nos desafiamos para avançarmos em todos os nossos processos. Trata-se de mais uma medida de segurança que adicionamos à jornada de viagem do nosso cliente, que, desde o check-in no aeroporto de origem até o desembarque no destino, tem a certeza de que foi atendido por uma companhia que cumpre os protocolos de higiene mais rígidos para assegurar uma viagem com cuidado e segurança”, afirma Paulo Miranda, vice-presidente de Clientes do Grupo LATAM Airlines.


Como funciona o robô autônomo



O robô irá atuar nas aeronaves de forma totalmente autônoma, permanecendo a bordo entre 17 e 35 minutos (dependendo do tamanho da aeronave), para que as superfícies sejam expostas à luz ultravioleta tipo C. O procedimento será realizado inicialmente durante o pernoite das aeronaves no aeroporto de São Paulo/Guarulhos. Para os próximos meses, a expectativa é de que o equipamento seja utilizado em outras localidades.

Todos os demais processos de higienização interna das aeronaves serão mantidos normalmente, incluindo a limpeza manual dos pontos de contato frequentes do passageiro (maçanetas, vasos sanitários, apoios de braços, cintos, telas, interruptores de luz e chamada, bolsões dos assentos, janelas e bandejas) em todas as fases do voo, e sanitização proativa de toda a cabine com o uso de desinfetante de quaternário de amônio, álcool 70% e outros materiais indicados pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) e órgãos internacionais.