• Abner Oliveira

MSC Cruzeiros reforça seu protocolo de saúde e segurança para voltar ao mar!

A MSC Cruzeiros anunciou que iniciou um programa de vacinação contra a COVID-19 em toda a sua frota para todos os membros da tripulação. Isso se torna um elemento central adicional do seu protocolo de saúde e segurança, que vem apoiando as operações da MSC Cruzeiros desde que seu primeiro navio voltou a operar em agosto do ano passado.

A implantação teve como primeiro passo a vacinação do Comandante do MSC Bellissima, Capitão Giuseppe Maresca, e toda a sua tripulação, tendo sido completada.

Nesta fase inicial, a MSC Cruzeiros priorizará os membros da tripulação a bordo de seus 10 navios previstos para os cruzeiros de férias do verão de 2021 do hemisfério norte, no Mediterrâneo e no Norte da Europa, aqueles programados para reiniciar no Caribe a partir de portos dos EUA, bem como outros que estão se preparando para a retomada. A tripulação do mais novo navio da Companhia, o MSC Virtuosa, será vacinada antes da sua viagem inaugural, que acontecerá no dia 20 de maio pelo Reino Unido, partindo de Southampton.

Gianni Onorato, CEO da MSC Cruzeiros, disse: “Á medida que nossos navios se preparam para receber mais e mais hóspedes nas próximas semanas e meses, temos o prazer de anunciar o início de um plano abrangente de vacinação para toda a nossa tripulação. Nosso objetivo é adicionar mais um nível de proteção para eles e para os hóspedes que eles receberão, enquanto lideramos o caminho para a retomada da indústria neste verão do hemisfério norte.

A MSC Cruzeiros se tornou a primeira Companhia da indústria a retomar as viagens internacionais em agosto de 2020, quando o navio MSC Grandiosa, partiu de Gênova para uma viagem de 7 noites no Mediterrâneo. Desde então, a empresa já recebeu a bordo cerca de 65.000 pessoas para um cruzeiro de férias seguro e relaxante no mar.

Os 10 navios da empresa que operarão no Mediterrâneo e no Norte da Europa, neste verão do hemisfério norte, têm itinerários e portos de escala confirmados na Itália, Malta, Grécia, Croácia, Montenegro, Alemanha e Reino Unido, com planos de adicionar França, Espanha e outros, à medida em que mais países forem abrindo suas fronteiras e reduzindo suas restrições internacionais e de viagens.