• Abner Oliveira

O fundador da Norwegian Cruise Line, Knut Kloster, falece aos 91 anos

A Norwegian Cruise Line Holdings Ltd.  reverencia solenemente a morte em 20 de setembro de 2020 de um de seus fundadores, Knut Kloster, com 91 anos de idade. Em sua homenagem a Empresa irá dedicar uma seção de seu terminal ainda a ser inaugurado em PortMiami em Miami, Flórida e introduzirá um prêmio anual de reconhecimento de membro da equipe em memória de seu espírito humanitário, ambientalista e inovador.


“Estamos extremamente tristes pela perda do visionário que não só deu vida à nossa empresa, mas também à nossa indústria, ”, disse o presidente e CEO da Norwegian Cruise Line Holdings, Frank Del Rio. “Knut foi um pioneiro em nosso setor e certamente à frente de seu tempo, explorando todas as oportunidades de estar na vanguarda e romper barreiras. Sua paixão foi além de navegar, com contribuições para causas sociais, culturais, humanitárias e ambientais em todo o mundo.


Influência de Kloster


A influência de Kloster na empresa e na indústria é profunda. A partir de 1966, ele atendeu à crescente demanda da América por viagens internacionais, oferecendo cruzeiros de ida e volta do então nascente Porto de Miami no M/S Sunward para 550 passageiros, no processo de criação da moderna indústria de cruzeiros que conhecemos hoje. Suas inovações continuaram, criando a primeira ilha privada da indústria em Great Stirrup Cay e lançando o primeiro mega-navio da indústria no Caribe com o SS Norway.



Sua vida


Nascido em Oslo, Noruega, em 1929, Kloster se tornou o chefe da empresa de navegação de sua família desde muito jovem. Em um esforço para diversificar, ele expandiu as operações para incluir um navio de passageiros para viagens a Gibraltar e Marrocos, que eram complicadas por eventos geopolíticos na região. Ele receberia uma comunicação fortuita de um certo Ted Arison, convidando-o a ir a Miami para inspecionar as instalações e talvez reposicionar seu M/S Sunward para o Caribe. A Norwegian Caribbean Lines logo foi formada e, em dezembro de 1966, partiu a primeira viagem de Miami, FL a Nassau, nas Bahamas,  dando início a uma nova era de cruzeiros.


Apesar de ser um titã da indústria, ele era mais conhecido por seu caráter extraordinário; ele defendia uma crença inabalável de que o sucesso comercial duradouro dependia da responsabilidade social e ambiental, tanto quanto da responsabilidade financeira.

Além de sua profunda consideração e cuidado com o meio ambiente, Kloster era um humanitário. Com tripulações de origens multinacionais, ele desenvolveu uma cultura de inclusão e compreensão a bordo de seus navios. Por seus esforços, ele recebeu permissão das Nações Unidas para hastear sua bandeira no topo do mastro da SS Norway.


Del Rio acrescentou: “O legado de Knut Kloster vive em toda a indústria de cruzeiros com cada novo navio que é lançado e cada  inovação que é introduzida. É com muito orgulho e um enorme senso de responsabilidade que continuamos com a visão que ele criou há muitos anos.”