top of page
  • Foto do escritorAbner Oliveira

Os jovens e a poesia!

Falando se sentimentos e emoções, principalmente relacionados ao nosso valor e aos relacionamentos, Samara Buchweitz se conecta com um público crescente. “Todos os dias, ao menos umas 10 pessoas compartilham os versos do livro. Com isso, eu entendo que toquei o coração delas de alguma forma”, ela explica.


Como parte da geração X, ela sabe que precisa da tecnologia para chegar a mais pessoas: "além das redes sociais, estamos preparando um site inclusive com outros produtos do livro, uma forma das pessoas continuarem o processo que o Coisas que Guardei pra Mim começou, de mexer nas próprias emoções e, talvez, curar certas partes de si”, enfatiza a autora.


O livro foi formatado depois de uma desilusão amorosa, algo muito comum na juventude, e foi, segundo Samara, uma espécie de cura. Para ela, os leitores se identificam exatamente com esse expurgo que os versos e prosas carregam consigo. “Eu vejo que as pessoas conseguem se relacionar melhor com o sofrimento quando entendem que outras pessoas já passaram ou passam pela mesma situação", conta.


Com um processo de escrita espontâneo, ela está preparando o segundo volume de ‘Coisas que Guardei...’, uma forma de continuar essa trajetória e dialogar, mais uma vez, com seu público: “as pessoas podem esperar mais versos e mais compartilhamento de experiências. O segundo volume será ainda mais profundo”, revela Samara.


Onde ler Samara Buchweitz?


Coisas que Guardei pra Mim – link Amazon

Comments


bottom of page