• Abner Oliveira

Transporte ultrarrápido e sustentável pode ser alternativa no Rio Grande do Sul!

A Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), por meio de um acordo com o Governo do Estado do Rio Grande do Sul e em parceria com a Hyperloop Transportation Technologies (HyperloopTT), acaba de concluir um estudo de viabilidade do transporte ultrarrápido e sustentável na região Sul do Brasil.


A pesquisa para a implementação do modal em cápsulas para passageiros e cargas é pioneira na América Latina e estima que, em 30 anos, haverá uma redução de R$ 2,3 bilhões no custo operacional da rota que vai de Porto Alegre a Caxias do Sul, passando pelas cidades de Novo Hamburgo e Gramado.

Crédito: divulgação


O estudo de viabilidade considerou o período de cinco anos para a implementação do sistema e analisou os impactos do projeto no decorrer de 30 anos de funcionamento do transporte no sul do país. Com o sistema, o trajeto de 135 km, que hoje é feito em duas horas de carro, poderá ser realizado em apenas 19 minutos e 45 segundos, em uma velocidade máxima de 835 km/h.

"Imagina trabalhar em Caxias do Sul, poder ir almoçar em Porto Alegre e conseguir voltar a tempo para o trabalho? Ou conhecer os principais pontos turísticos de Porto Alegre e Gramado no mesmo dia? Essas são só algumas das inúmeras possibilidades que o hyperloop pode levar para a região.", diz o Diretor da HyperloopTT para a América Latina Ricardo Penzin.

O Governador do Estado do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, enfatiza que o estudo de viabilidade foi possível devido ao quadro técnico altamente qualificado do Estado e da parceria com a HyperloopTT.

De acordo com o secretário de Estado de Inovação, Ciência e Tecnologia, Luís Lamb, a análise de viabilidade do hyperloop pode contribuir para a exploração de novas tecnologias e produtos da cadeia de mobilidade do Rio Grande do Sul.

Um aspecto priorizado pelo estudo foi a viabilidade econômica do projeto. De acordo com as características geográficas da região, constatou-se que o custo total para a implementação do hyperloop, junto com os custos de operação e os impostos pelos próximos 30 anos, será de US$ 7,71 bilhões. O valor investido é compensado já nos primeiros cinco anos de funcionamento, principalmente com receita proveniente dos passageiros (52%) e empreendimentos (35%), além de aluguel de lojas nas estações (2%), publicidade (2%) e transporte de carga (1%). Como o projeto não exige subsídios governamentais, a empresa interessada em realizá-lo terá um payback completo e passará a lucrar em apenas 14 anos.

Crédito: divulgação


Já dentre os principais benefícios para a economia local estão a criação de 50 mil empregos diretos no setor de Construção durante o período de obras, 9.243 empregos diretos e indiretos e 2.077 empregos no setor de Energia Solar anualmente durante 30 anos, crescimento do PIB e o aumento da receita tributária. Dessa forma, os ganhos serão cerca de 31% superiores aos custos envolvidos no projeto.

Todos os direitos reservados ©2020 - 2022 por Abner Oliveira Oficial 

  • linkedin
  • instagram
  • facebook